Pato: acertou o pênalti, mas errou no marketing

By on 11 de novembro de 2013

Atacante fez o gol da vitória, mas tirou clube e patrocinadores de cena no momento da comemoração.

Reprodução:Site/Corinthians

Reprodução:Site/Corinthians

Aconteceu de novo e a discussão é antiga. Mais um gol decisivo, todos os holofotes da imprensa no autor da proeza, mas no momento da comemoração… Opa! Cadê a marca do patrocinador? Pato não é o primeiro e não será o último a tirar a camisa do clube ao comemorar, mas merece uma avaliação especial.

Contratado por R$ 40 milhões, o atacante parecia ser uma excelente aquisição para o Corinthians, não apenas dentro de campo. Alexandre Pato saiu cedo do Brasil, viveu bastante tempo na Europa e soube preservar a sua imagem de bom moço, sobretudo com os seus discursos politicamente corretos e a sua indisposição para abraçar polêmicas.

Com tantos atributos, o jogador parecia um produto nobre e fácil de ser vendido, principalmente porque o clube paulista, com a ajuda da Nike, tem capitalizado muito bem a imagem de seus atletas. O case com o ex-jogador Ronaldo é um grande exemplo disso.

Mas no esporte a cobrança por desempenho é sempre igual ou maior que a expectativa gerada pelo marketing. O Corinthians foi cauteloso nesta relação e decidiu explorar pouco a imagem de Pato antes que a torcida o visse em ação. Decisão acertada. Os gols apareceram, mas não foram decisivos. Pelo contrário, decisivo mesmo foi o erro. O pênalti mal batido na eliminação do time na Copa do Brasil.

É nítido. Pato ainda não é um produto premium no marketing do Corinthians. Antes, precisa cair nas graças da torcida, o que não parece estar próximo de acontecer. No último final de semana ele voltou a ser relativamente decisivo; fez o gol de pênalti que deu a vitória ao clube sobre o Fluminense, aos 44 minutos do segundo tempo.

Poderia ter comemorado normalmente e aos poucos trabalhar a imagem para um retorno triunfal. Mas preferiu “subir no salto”. Tirou a camisa do clube e afastou o patrocinador de cena, no momento máximo do jogo. Quis brilhar mais do que todo mundo. Para completar, colocou as mãos sobre o ouvido, ironicamente, para escutar a torcida comemorando o gol que ele acha que foi dele e não do time todo, que suou no sol escaldante por 90 minutos.

O fato é que em um dos poucos momentos que teve para retribuir o Corinthians e os seus patrocinadores… Pato acertou o pênalti, mas jogou a bola do marketing para bem longe da meta.

About Luciano Bonetti

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply